Notícias


Yamasa Sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Técnicos nicaraguenses recebem treinamento na fábrica da Yamasa

Profissionais da Disatyr - empresa de representação - e do aviário El Granjero estiveram em Rinópolis para aprimorar seu trabalho com as classificadoras.

Donald Collado e Rigoberto Galicia: conhecimento

Em outubro de 2018 a fábrica da Yamasa em Rinópolis recebeu dois visitantes da Nicarágua: o engenheiro industrial Donald Rene Acuña Collado e o engenheiro mecatrônico Rigoberto Alva Galicia. Ambos participaram do programa de treinamento que a indústria oferece para clientes e representantes.

Donald Collado trabalha na Disatyr, empresa distribuidora dos equipamentos Yamasa em países centro-americanos. Ele é o responsável por atender as granjas hondurenhas que têm classificadoras e embaladoras da marca brasileira, e gostou muito do que aprendeu nos cinco dias em que esteve em treinamento. “Pude conhecer detalhes das máquinas de menor porte com que já trabalhamos em Honduras e também os equipamentos maiores. Agora estou melhor preparado para prestar atendimento técnico às classificadoras de ovos.”

Na El Granjero, Rigoberto Galicia também estará apto a cuidar da manutenção do equipamento da empresa, sentindo-se mais confiante para o atendimento no dia a dia da avícola hondurenha, que é uma das maiores do país.

El Granjero tem duas unidades e máquinas com capacidade para classificar 50 caixas de ovos/hora e 300 caixas/hora, essa mais moderna, adquirida em 2017. “São máquinas muito boas e eficientes e agora estarei mais apto a trabalhar com elas, além de poder ensinar outros funcionários do grupo a fazer a melhor manutenção”, diz Rigoberto, agradecido pela experiência de estar no Brasil para aprender mais.

Os dois profissionais foram unânimes em destacar a importância de conhecer pessoalmente os técnicos que sempre os atenderam à distância, seja por telefone ou mensagem. “É um prazer conhecer pessoalmente as pessoas que sempre nos atenderam tão bem!”, confirma Donald. O engenheiro mecatrônico Rigoberto também elogiou o atendimento técnico da Yamasa e considera que foi fundamental passar pelo treinamento in loco na fábrica: “Rapidamente pude perceber os erros que cometia e agora estou melhor preparado para o meu trabalho”, concluiu.