Notícias


Yamasa Sexta-feira, 25 de maio de 2018

Incubatório Ad'oro e Granja Bela Vista participam de treinamento na fábrica

Programa de treinamento da Yamasa conquista a cada dia mais clientes em busca de atualização sobre as máquinas da empresa.

Adriano Bailos: qualidade

Acompanhar a evolução da tecnologia Yamasa e aplicá-la com segurança no dia a dia é um dos objetivos alcançados por técnicos de duas empresas que participaram do treinamento na fábrica da Yamasa. Uma equipe do incubatório paulista Ad’oro confirma que os conhecimentos obtidos durante o treinamento, realizado em setembro de 2017, foram muito proveitosos.

Adriano Bailos, gerente do Incubatório da Ad’oro Alimentos, se disse bastante satisfeito com o que ele chamou de “treinamento de qualidade” oferecido pela Yamasa nos quatro dias em que esteve em Rinópolis, na fábrica da empresa. Com ele, também, o supervisor Edilson Tiago Barbieri e os técnicos Valdenir Denani e Alex Denani, supervisores de manutenção.

Eles acompanharam de perto a tecnologia da Yamasa para equipamentos de seleção e embandejamento de ovos férteis. “É a primeira vez que teremos automatização da seleção e embandejamento dos ovos”, diz Adriano, que espera ansioso o término da obra de ampliação do incubatório para recepcionar a máquina Yamasa YHD com capacidade para selecionar 54 mil ovos/hora. O equipamento chega no segundo semestre.

A Ad’oro é especializada no abate e comercialização de frangos inteiros, cortes especiais, desossados e marinados, congelados e resfriados.  É uma das maiores produtoras do segmento no Estado de São Paulo. O moderno incubatório tem sede em Rio Claro.

Marcos Paulino: economia

Também muito satisfeito ficou o técnico Marcos Antonio Paulino, da Granja Bela Vista, de Guaíra (PR). Ele esteve na fábrica em outubro aprendendo a operar o equipamento YHD para matrizeiros com capacidade para 18.000 ovos/hora. Embora a máquina tenha sido adquirida há dois anos pela granja, Marcos assumiu o trabalho de operação da máquina há pouco mais de seis meses. Por isso, esteve em Rinópolis, passando por treinamento.

O técnico paranaense possui experiência com matrizeiros mas não conhecia o processo automatizado de embandejamento de ovos férteis. “Para a estrutura que temos lá, a YHD faz o serviço de seis funcionários”, calcula. Mas há máquinas da Yamasa atendendo outras três granjas que compõem o núcleo de produção do local.

Entusiasmado com as novidades da nova geração da YHD, Marcos disse que levaria para Guaíra uma proposta da empresa para atualizar o equipamento instalado na granja, o que permitiria melhores controles de produção e agilidade no embandejamento de ovos. “Com isso, podemos ganhar mais em produtividade com economia”, indicou o técnico.